Blog

Entrevista sobre Ragdoll

Hoje a entrevistada é a Marisa. Ela tem muitos gatos, entre os quais 6 Ragdolls. Nessa entrevista, ela nos dirá um pouco mais sobre essa raça e dizer um pouco sobre os motivos que a levaram escolher eles.
Guia para a entrevista.

Mundo Miau – Nome e nome de seus filhos felinos. Como escolheu o nome deles?
Marisa – Os ragdolls são Miss Mandy, Hermione, Bebê, Cacau, Raissa e Miss Bárbara e Mimi Mamuska. Fora eles, tenho mais uma turminha
Mundo Miau – Quanto tempo você os tem?
Marisa – 7 anos
Mundo Miau – Como eles entraram na sua vida?
Marisa – Uma longa pesquisa pelo mundo felino. Sempre tive gatos, mas a personalidade dos ragdolls me encantou
Mundo Miau – Já tinha tido vivência com um felino antes? Se sim, quando?
Marisa – Desde que nasci. Sempre tivemos gatos.
Mundo Miau – A escolha da raça Ragdoll, teve algum motivo? Você já conhecia?
Marisa – São calmos, molinhos, miam baixinho…uma verdadeira tentação pra quem ama felinos
Mundo Miau – Quais características que eles têm que diferencia das outras raças?
Marisa – A delicadeza, o companheirismo, a calma
Mundo Miau – O que eles gostam de fazer?
Marisa – Nos seguir como cachorros. Sempre estão perto como uma sombra do seu dono
Mundo Miau – O que eles fazem que te deixa feliz?
Marisa – Essa dedicação deles pra gente…esse jeitinho mole, delicado, esse ronronar dormindo do nosso lado…Um encanto
Mundo Miau – Como é o comportamento deles? Teve algum tipo de atrito no início ou a convivência sempre foi boa?
Marisa – São os gatinhos mais calmos e companheiros que eu já vi. Tenho SRD´s e persas, também. Sempre trataram os outros com carinho e lambidinhas
Mundo Miau – Quais as manias deles?
Marisa – Miar quando veem luz, ronronar muito e estar sempre junto
Mundo Miau – Quais as brincadeiras favoritas?
Marisa – Afogar ratinho no bebedouro de água…rsrs
Mundo Miau – Onde eles adoram dormir?
Marisa – Comigo, na cama até a hora que conseguirem
Mundo Miau – Qual a mensagem final que gostaria de dizer aos amantes de gatos?
Marisa – Ragdolls, desde que escolhidos de um criador idôneo, que os venda castrados e selecione seu comportamento, são a coisa mais gostosa que um adorador de gatos possa ter.

fountuneteller mitted-ragdoll-kitten

Como plantar milho de pipoca

Se há uma coisa que os gatos adoram é comer a grama do milho. Um dos motivos dos gatos gostarem de grama é ajudar na eliminação de bolas de pelos, bem como contribuir para o bom funcionamento intestinal. Além dos felinos adorarem, o bom desse plantio é que ele não requer muitos conhecimentos e é relativamente barato e prático.
Você precisará basicamente de:

  • Um pote, vaso ou jardineira. Isso dependerá do número de gatos que você tem. Caso tenha mais de um, recomendamos uma jardineira – igual a da foto – que pode ser encontrada em supermercados, na seção de jardinagem.
  • Arrume terra e adubo de boa qualidade.
  • Compre um saco de milho de pipoca – o que vem os caroços, não o de microondas.
  • Como preparar: coloque a terra e misture com o adubo. Deixe, mais ou menos, uns três dedos da borda sem terra. Salpique o milho por todo o recipiente evitando que os caroços fiquem muito juntos. Cubra as sementes com terra – em torno de um dedo. Molhe harmoniosamente e tome cuidado para que nenhum caroço fique descoberto. Consiga um local que bata sol e de preferência sem acesso ao seu gatinho, porque ele pode fazer a festa cavando na terra. Molhe dia sim, dia não ou sempre mantenha a terra úmida, nunca encharcada – o que evitará da planta não desenvolver ou morrer devido aos fungos . Em 3 dias, mais ou menos, as raízes surgirão.

Dentro de 3 semanas, aproximadamente, o pé de milho já terá um tamanho bom.
O ideal é deixar a planta crescer uns 4 a 5 dedos pois, do contrário, os gatos acabam rapidamente com ela. Tome cuidado quando servir a fim de que eles não cavem no recipiente ou pisem nas plantas. Repita o plantio sempre que quiser, pois eles adoram.
Os gatos comem essas graminhas para regularizar o trato intestinal e auxiliar na eliminação dos bolos de pêlos acumulados em seus intestinos. Existe um produto chamado Graminha Para Gatos, desenvolvido especialmente para que os felinos possam se abastecer de fibras vegetais, sem agrotóxicos e sem toxidez ao organismo.

Cuidado com inúmeras plantas comuns que são venenosas para os gatinhos. Praticamente todas as plantas que dão flores são tóxicas. Elas podem intoxicar e até matar, dependendo da quantidade. Por isso fique em alerta e não deixe seu gatinho comer qualquer mato na rua ou jardim.

blog5

GATO DE ÁRIES (20 março – 19 abril)

Áries é um signo de fogo, cuja cor é vermelha, regido pelo planeta Marte. Os gatos desse signo são independentes, dominadores e energéticos. Adoram brincar. São vibrantes e destemidos. Eles têm porte atlético e por isso conseguem brincar por horas seguidas sem cansar.
Os gatos deste signo estão sempre prontos para atacar sua presa e por isso elaboram as estratégias de ataque em sua mente.
Tudo faz parte da estratégia e do cálculo para atacar, e isso os torna verdadeiros caçadores.
Não se surpreenda quando eles chegarem à sua porta trazendo a vítima em sua boca. Capturar o inimigo, mantendo-a como refém ou mesmo matá-lo faz parte de um dia de trabalho e ele estará sempre à procura de um novo entretenimento.
Eles buscam reconhecimento e muitas vezes usam a força, em vez de diplomacia, para conseguir o que desejam.
Devido ao instinto de caçador, o gato de Áries pode ser um companheiro muito divertido, mas você deve estar preparado para sacrificar alguns enfeites de decoração e mobílias, além de se acostumar com seus barulhos durante os momentos de brincadeiras. Então, tenha paciência com ele. O pai desse felino deve estar preparado para seu temperamento impulsivo e rebeldia em seguir comandos.
Gatos de Áries são possessivos e irão proteger seu território sempre. Para eles, você é parte de seu território. Por isso ele o protege e o ama demais, o que torna seu relacionamento especial. Eles são leais, mas extremamente independentes. Por isso, espere que ele venha até você para lhe dar carinho. Recomenda-se que não o pressione para que demonstre sentimentos.

Pais humanos compatíveis: Leão e Sagitário
Comida preferida: Peixe e qualquer coisa que ele encontra para si
Qualidade: Entusiasmo
Defeito: Impaciência

Como educar o seu filho felino?

Esse é um dos assuntos mais importantes e que gera mais dúvidas, principalmente em pais de primeira viagem. Adiantamos que não é um bicho de sete cabeças – diferentemente do que é dito por aí, que gato não obedece, que é diferente de cachorro, etc. Seguindo algumas dicas, você verá como ele respeitará melhor as regras da casa.
Logo após realizar a devida introdução ao novo ambiente em que ele viverá – falaremos disso em outro artigo -, você precisa saber dos cuidados e da forma como lidar com o felino. Já ouvimos relatos de algumas pessoas que batem, jogam água, fazem barulho, enfim, tentam de todos os meios para que o gato obedeça as regras da casa.
Algumas vezes até parece que deu certo, já que o felino se afasta logo após a bronca. As aparências, no entanto, enganam e aquilo que antes era feito na sua presença, começará a ser feito escondido ou quando estiver ausente. Reprimir fortemente algo somente irá fazê-lo se sentir frustrado ou motivado a fazer em outro lugar.
Um exemplo é aquele em que o gato está arranhando o sofá, você faz algo para ele parar e, quando perceber, a sua cadeira ou outro objeto da casa estará com as marcas das unhas. Para que isso cesse ou diminua consideravelmente, existem alguns meios.
A maneira que adotamos em nossa casa e verificamos que funciona não envolve gritos, xingamentos, espirros de água ou pancadas. Essa última, por sinal, nunca deverá ser usada. Repetimos: nunca mesmo, pois isso só fará o gato ficar mais revoltado e disposto a fazer novamente ou, até mesmo, torná-lo agressivo com todos e com tudo. O método que usamos para educar os nossos três filhos felinos envolve apenas a palavra não, com uma entonação mais forte.
Isso foi feito desde que eles eram filhotes. Por exemplo, quando um gato subir em cima da mesa de jantar, fale não e o retire. Pulou na bancada, pia ou fogão da cozinha, fale não e o retire – normalmente, após o não veemente, eles já saem do local. Caso eles voltem a repetir, faça novamente.
Basta fazer isso algumas vezes para condicioná-los a associar a palavra e a entonação com a proibição de fazer algum tipo de coisa. O mesmo vale para arranhar os móveis de casa. Só que aqui, entra um outro artifício.
Os gatos, conforme a maioria das pessoas sabem, gostam de arranhar as coisas – sobre unhas e arranhar, faremos um artigo sobre isso.
Esse comportamento extrapola o lado comportamental e fisiológico – na questão de manter as unhas mais aparadas -, envolvendo também o quesito demarcação de território. Nas patas e unhas dos felinos há glândulas que, quando pressionadas contra algo, acabam deixando às “digitais’’ deles, o que ajuda na demarcação de território – tanto olfativamente, quanto visualmente. Evitar totalmente que o seu gato acabe arranhando algo de sua casa, portanto, é um pouco difícil. O que se pode fazer é diminuir esse comportamento. Uma das maneiras é justamente usando o não. A segunda, seria ter arranhadores em casa. Esses objetos, com seus postes em sisal, são ótimos para eles não apenas desgastarem suas unhas, como também diminuírem o hábito de tentar arranhar seu sofá, cama, cadeira ou outro objeto.
Um outro ponto importante na educação envolve a comida. Recomendamos, fortemente, que nunca dê comida humana para os felinos. Isso não apenas evitará complicações intestinais futuras, como também poupará o desgaste de vigiar, a todo momento, se eles estão em cima da pia, do fogão ou da mesa de jantar tentando roubar um pedaço de carne ou de outro tipo de comida. Ademais, certos tipos de alimentos humanos – como o chocolate – são tóxicos e podem levar a morte do seu felino. As rações para gatos já vem com os nutrientes e vitaminas que eles precisam – falaremos mais sobre tipos de rações e alimentação adequada em um artigo específico.
Há outros tipos de comportamentos dos gatos que desagradam alguns e não outros. Para corrigir ou minimizar, use sempre o não mais veementemente. O objetivo desse artigo foi pincelar alguns pontos e mostrar que é possível educar o seu felino sem precisar de lançar mão de medidas extremas. Outros assuntos que porventura tenhamos esquecido de comentar aqui, faremos em outros artigos na seção comportamental.

Tenho um gato e agora?

Muitos são os que já passaram ou conhecem alguém que passou por essa situação. Um gato entrou na sua vida e agora, o que fazer, por onde começar. Esse artigo tem por intenção dar dicas de que fazer para que você comece com o pé direito o relacionamento com o felino.
Essa é uma situação que muitos passam logo depois que adotam ou compram um felino: quais seriam os primeiros passos. Antes de começar a dar dicas, é bom reafirmar que gato é diferente de cachorro. Isso é importante lembrar porque no nosso país é muito comum as pessoas terem tido primeiro contato com cães para depois terem com gatos. Nesse contexto, as chances de tomar decisões equivocadas aumentam, já que há uma diferença em como se preparar a casa para o novo “filho felino” e como interagir com ele.
Antes de o gato adentrar à sua nova moradia, é importante que você já tenha algumas idéias de como lidar com o novo membro da família. O propósito desse artigo é auxiliar os pais de primeira viagem e acelerar o processo de ambientação do novo “filho”. Dessa forma, devemos inicialmente pensar sobre telas de proteção, bandejas, potes e fonte – como também os locais onde serão colocados -, tipos de comidas, de brinquedos, de arranhadores e de caminhas, além de como educá-los. Ademais, tem-se que encontrar um bom veterinário para dar as devidas vacinas, vermifugar e analisar as condições de saúde do animal. Tendo em vista essa check-list, vamos falar sobre cada um:

Bandejas – É o essencial para começar. Deve-se comprar uma bandeja adequada para colocar areia. Se for filhote, você pode já comprar uma bandeja grande a fim de que ele a use para urinar e defecar. É recomendável que já se compre uma caixa de areia definitiva, pois gatos tendem a não gostar muito de mudanças. Algumas pessoas preferem usar folha de jornal, o que não recomendamos, pois além de trocar as folhas durante várias vezes ao dia, acaba sendo anti-higiênico, o que pode desestimular o seu gato a fazer as necessidades. A bandeja é essencial e deve ser colocada em um lugar que ventile, de fácil acesso e visão – no caso de ter mais de um gato, assim ele pode controlar e ver se algum outro irmão está vindo ao seu alcance. É fundamental que a caixa de areia esteja longe dos potes de comida e água.

Potes – Assim como a bandeja, são os primeiros itens a serem adquiridos. Existem vários modelos. Caso o seu gato seja filhotinho, é recomendável que o pote seja proporcional ao tamanho, ou seja, pequeno e raso a fim de facilitar a ingestão de ração e água. Com o passar do tempo, pode-se comprar um pote maior. Nossa preferência é que você compre potes de porcelana/cerâmica ou de alumínio, pois são mais higiênicos e fáceis de limpar. Um detalhe importante: depois de estudar sobre o assunto e observar in loco, recomendamos que essa cumbuca tenha um diâmetro suficiente para que os bigodes do gato entrem tranquilamente. Expliquemos: alguns felinos podem não gostar do fato de seus bigodes ficarem tocando nas extremidades dos potes e, por consequência, podem comer menos ou adquirir hábitos diferentes de comer, como o de puxar a ração para fora do pote. Finalmente, é recomendável que não faça a troca dos potes depois que eles tiverem crescidos ou que compre um modelo diferente e junte ele com o antigo. Caso tenha mais de um gato, pode acontecer deles disputarem um só modelo e deixarem a comida do outro recipiente intacta. Lembre-se: comida e bebida devem estar longe da caixa de areia.

Fontes – Você pode usar potes para que os gatos bebam água. Recomendamos, no entanto, que desde pequeno eles já tenham uma fonte para estimular a beberem mais água – veja mais no tópico fontes de água. Isso é importantíssimo a fim de evitar que seu gato desenvolva algum problema renal e, assim, abrevie sua vida. É importante ressaltar que alguns gatos gostam de beber água no nível do solo, enquanto outros preferem beber em locais mais altos, como em cima de criados-mudos, móveis, pias de banheiro. Observe e veja o local mais apropriado para o seu gato. Também recomendamos que você tenha mais de uma fonte em casa a fim de que o gato possa beber água mais facilmente.

Comidas – Aqui há uma grande variedade de marcas, gostos, textura, valores, entre outros. Antes de tudo, no entanto, gostaríamos de ressaltar algo: nunca dê comida de humano para seu felino. Além de poder desequilibrar o sistema digestivo dele – como caso de diarreia, de vômito, de intestino preso -, há o risco dele não apenas diminuir a imunidade, como também o risco de tornarem-se obesos. Ademais, ele pode começar a revirar o seu lixo a procura de comida, pular na pia da cozinha enquanto prepara a comida, pular em cima da mesa enquanto você come. Em resumo, o processo de educar o seu gato tornar-se-á muito mais complicado. O leite é outro assunto sensível- alguns felinos são sensíveis à lactose, o que provoca diarreia. Caso queira dar leite, recomendamos que compre o leite apropriado para felinos.
Em relação à ração seca, caso tenha um gato filhote, é recomendável que se dê ração apropriada para a idade dele. Os pacotes de ração, normalmente, já vêm com a descrição da idade que é recomendável para o seu felino. Caso o seu gato esteja com desnutrição – seja filhote, jovem ou adulto – é recomendável dar, juntamente com a comida seca, uma ração pastosa altamente nutritiva que se encontra nos petshops. Em relação ao gato jovem-adulto, recomendamos uma ração que tenha a menor quantidade de corante possível. Caso ele esteja obeso ou com alguma disfunção, procure o seu veterinário para que ele possa indicar a ração ideal para seu felino.

Brinquedos – Gatos adoram brincar, principalmente com brinquedos que estimulem o senso de caçador deles. Há no mercado diversos modelos, desde ratinhos simples à com controle remoto, bolinhas de plástico a com chocalho dentro. O que não falta é opção para que seu gato possa brincar sozinho ou com a sua interação.

Arranhador – Esse é um item que a primeira vista parece ser dispensável, mas que com o passar do tempo torna-se fundamental não apenas para a saúde deles, quanto para a mitigação do prejuízo em seus móveis. Um bom arranhador deve ter um tamanho intermediário – por volta de 1 metro -, com local onde o gato possa relaxar e dormir.

Caminha – Gatos adoram dormir e, portanto, escolher uma boa caminha é fundamental. Existem vários modelos no mercado. Dentre tantas opções, recomendamos àquela que tenha um tamanho suficiente para que o seu felino possa recostar enquanto deita e dorme. Ter uma cama para seu gato é necessário, o que não significa que o seu filho não escolha, sem titubear, você à cama dele.

Caixa de transporte – Um dos itens fundamentais. Raros são os gatos que andam com coleira, como os cachorros fazem. Dessa forma, é necessário ter uma caixa carregadora a fim de não apenas levar o seu felino ao veterinário, como para viajar com ele. Assim como outros produtos, também existem vários tipos no mercado. Para levá-lo às consultar clínicas, pode-se usar caixa com material de tecido, mais maleável, que tenha boa ventilação, que seja confortável e que o seu gato consiga ficar de pé e dar uma volta dentro da caixa. No caso de viagens de avião ou de carro, a caixa terá que ser feita com um material mais resistente, com boa ventilação e que também possibilite o gato a ficar de pé e dar um giro em torno de si.

Veterinária – Tema extremamente importante. Procure um profissional qualificado, que tenha experiência em lidar com felinos, além, claro, de ter boas referências para que ele seja o médico de seu filho. Leve o felino e verifique a questão das vacinas, anti-pulga, entre outros. Falaremos mais sobre isso no espaço consultório do site Mundo Miau.

Tela de proteção – Item primordial, tanto para quem tem casa, quanto para quem mora em apartamento. Deve ser colocado antes mesmo da chegada do gato. No primeiro caso, evita que o felino vá para o quintal ou mesmo para a rua. No segundo, protege o seu gato contra quedas indesejáveis. Veja mais sobre esse tema aqui xxxx.
Conforme visto, são várias as coisas que se deve pensar e adquirir antes e depois da chegada do novo filho na casa. Lembre-se que o gato demanda atenção, carinho, investimento financeiro e, mais importante, ele viverá em média em torno de 12 a 20 anos. O gato, apesar de todo um mito que o cerca, apega-se muito aos donos e o amor deve ser recíproco.

1

Movéis Personalizados para Gatos

Nós do Mundo Miau fechamos parceria com a empresa PepeCats – fabricante de móveis para gatos – e agora somos representantes da marca em Brasília/DF e região. O que nos fez buscar essa empresa foi o fato de ela pensar no bem-estar dos felinos, fabricando produtos com materiais de qualidade, com madeira 100% de reflorestamento, o que faz que não haja substância tóxica que possa prejudicar o felino.

Propomos que você faça um enriquecimento ambiental para seus gatos! Verticalizar o ambiente é fundamental e para isso contamos com árvores, arranhadores, módulos, prateleiras e escadas. São diversos produtos produzidos especialmente para seu filho(a) felino(a)! Os projetos que desenvolvemos são feitos de acordo com sua necessidade e interesse, aliados com as necessidades dos gatinhos, além do espaço físico disponível para instalação.

Para desenvolver o projeto dos móveis da sua casa basta mandar fotos do ambiente e as medidas que iremos sugerir o melhor para aquele espaço e para seu(s) gato(s)!

Para maiores informações e orçamento entre em contato pelo e-mail contatomundomiau@gmail.com

01

02

04

07

08